CELULITE

Celulite é o nome popular da lipodistofia ginóide, que é uma alteração que afeta vasos, tecido gorduroso com depósitos de gordura sob a pele, causando um aspecto ondulado da pele, com caroços e depressões, tipo “casca de laranja” em algumas áreas do corpo. Costuma ocorrer nos quadris, coxas, nádegas e braços.

 

Afeta 95% das mulheres após a puberdade.

Em homens é raramente vista.

O grande problema da celulite é a baixa autoestima que ela causa.

 

Causas

A causa não é definida, mas vários fatores predispõem à celulite parecem ser:

  • Hereditários – o fator genético é importante, tais como: sexo, etnia, formato do corpo e distribuição de gordura.
  • Problemas circulatórios – que prejudica a drenagem das toxinas
  • Alterações hormonais – níveis elevados de estrogênio e progesterona favorecem a retenção de água e estimula o crescimento das células adiposas. Pílula anticoncepcional, alterações com elevação dos níveis de estrogênio. O uso de corticoides também pioram o quadro.
  • Alimentação – alimentação rica em açúcares, gorduras e carboidratos
  • Estilo de vida – sedentarismo prejudica a circulação sanguínea e linfática.

 

Graus da celulite

Existem vários graus de celulite, desde somente as depressões que aparecem quando se pinça a pele com os dedos até o aspecto em colchão com nódulos sempre visíveis e aspecto “casca de laranja”.

  • Grau I: assintomático, sem lesões, com história familiar.
  • Grau II: alterações visíveis ao contrair os músculos ou pinçar a pele
  • Grau III: ondulações visíveis, aspecto em “casca de laranja”. Pode doer.
  • Grau IV: Nódulos dolorosos, relevo da pele cheio de ondulações e depressões.

 

Atualmente, utiliza-se mais a “Cellulite Severity Scale”, desenvolvida por dermatologistas brasileiros, para melhor definir os graus de celulite.

Essa classificação avalia as principais características da celulite:

  • Número e profundida de depressões;
  • Aspecto das áreas elevadas da celulite
  • Presença de lesões elevadas;
  • Presença de flacidez
  • Graus da classificação antiga

 

Os itens acima são pontuados de zero a três. E a soma total é avaliada:

  • Leve (1 a 5 pontos)
  • Moderada (6 a 10 pontos)
  • Grave (11 a 15 pontos)

Tratamento

Esse é o maior desafio!

Não é importante somente o tratamento, mas a mudança no estilo de vida, manter hábitos saudáveis, alimentação com menor quantidade de açúcar, gorduras e carboidratos, parecem melhorar, pela redução da gordura. Ingerir bastante água e praticar atividade física aeróbica.

Cremes: muitos não têm eficácia e são caros. Os mais utilizados são os ativadores da circulação sanguínea no local.

Drenagem linfática: é uma massagem suave que acompanha o trajeto dos vasos linfáticos. Deve ser feita delicadamente, sem pressão excessiva, para ajudar a drenar os líquidos corporais.

Subcisão: pequena cirurgia com agulhas específicas que descolam a pele, melhorando as depressões.

Intradermoterapia: injeções intradérmicas com substâncias que ajudam a diminuir o edema e aceleram a quebra de gordura.

Ácido poliláctico: tratamento injetável, com resultados muito bons no tratamento da celulite.

Radiofrequência:  são aparelhos que agem basicamente aquecendo de forma contorlada a área tratada, produzindo novo colágeno. São mais indicados nos casos de celulite associados à flacidez.

Ultrassom macrofocado: também age por aquecimento seletivo dos tecidos, promovendo melhora da gordura e flacidez.

É preciso ressaltar que nenhum tratamento é eficaz sem alteração nos hábitos alimentares e modo de vida.

Abrir chat
Precisa de ajuda?