MELASMA

É uma hiperpigmentação adquirida com manchas acastanhadas, irregulares,  localizadas principalmente no rosto, podendo acometer também os braços e o colo. Acomete mais as mulheres, sendo bem menos frequente nos homens.

A causa do melasma é desconhecida, mas estão envolvidos: o histórico familiar; a exposição solar; aumento dos hormônios femininos como na gravidez e uso de anticoncepcional. Dentre esses, o mais importante estímulo é a exposição solar.

O diagnóstico da profundidade do melasma, em superficial ou profundo é importante para guiar a escolha do tratamento.

 

PREVENÇÃO:

É fundamental a fotoproteção adequada da pele com filtros solares, de preferência que sejam cor de base e com alto fator de proteção. Dê sempre preferência aos filtros físicos.

Evitar produtos clareadores que provoquem irritação na pele. Já se sabe que a pele com melasma não pode sofrer irritação ou ficar vermelha, pois haverá piora das manchas. Isso se deve à hiperpigmentação pós-inflamatória.

A associação de hidratantes com ação calmante é importante.

Lembrar de usar chapéus e roupas com fotoproteção.

TRATAMENTO:

O tratamento deverá ser contínuo, pois trata-se de uma alteração crônica e sem causa definida. Até o momento, ainda não existe medicamentos que promovam cura definitiva do melasma. O que deve ser feito é um tratamento planejado e acompanhado, para se obter as melhores respostas.

Os mais usados são os cremes de uso tópico, à base de despigmentantes.

Podemos associar também os fotoprotetores solares via oral, como Polipodyum leucotomos, picnogenol, e antioxidantes, que mostraram ser eficazes no controle do melasma em vários estudos, como tratamento coadjuvante.

Outra novidade recente que tem demonstrado ser útil é a prescrição de ácido tranexâmico via oral. Mas, a prescrição dessa medicação deve seguir critérios rigorosos de avaliação médica antes do início.

 

PEELINGS QUÍMICOS

São utilizados produtos à base de ácidos retinóico e clareadores. Indicados para melasma mais superficial, pois remove camadas mais superficiais da pele. Redobrar os cuidados com a exposição solar e hidratantes calmantes, pois a pele pode ficar mais sensível.

 

LASERS

O mais indicado é o Laser Nd Yag Q –Switched 1064nm. Com sessões semanais. Outros tipos de laser podem provocar hiperpigmentação pós- inflamatória e efeito rebote.

IPCA

O IPCA ou microagulhamento pode ser indicado em melasmas de mais difícil tratamento.

Abrir chat
Precisa de ajuda?